28 de dez de 2007

O amor remove distâncias


Hoje faz um ano que estou morando na cidade do Rio de Janeiro. Passou tão rápido que parece um sonhos gostoso que a gente não quer acordar.
A razão de eu vir para cá foi única: Luciana. Foi ela que, com sua voz de menina, seu jeitinho envolvente conquistou meu coração e me aceitou do jeito que sou. Como meus argumentos não foram suficientes, não consegui levá-la para Porto Alegre. Restou-me a mudança para o Rio. Foi muito difícil a adaptação porque senti falta dos amigos, da minha família, do meu filho, mudanças radicais no trabalho, mas sobrevivi, pelo amor que sinto pela Lu. Passamos o primeiro natal juntos, logo será um novo ano.
E como num conto de fadas, colocando alguns ingredientes da vida real, viverei o restante dos meus anos esse amor que é sincero e gostoso. Ah! Faltou a expressão: FELIZES PARA SEMPRE!

27 de dez de 2007

E 2008 vem aí!

Car@s amig@s,

Está chegando um novo ano. Ano de eleições, grandes debates nacionais, promessas, distribuição de cestas, dinheiro do narcotráfico rolando solto. Devemos questionar a própria democracia representativa em nosso país. Somos representados por quem? Para pensar...
Quero agradecer a acolhida recebida pela Valquíria e família em Vitória-ES. Adorei os bolinhos da tia Peca, vou sentir saudades! Guardem o livro do Perry Anderson, na confusão deixei aí...
Desejo aos meus amigos, companheiros e leitores do blog um novo ano melhor que este. E que possamos nos encontrar novamente neste espaço e se possível pessoalmente também!
Um grande abraço a todos!
Sejam Felizes!

16 de dez de 2007

Oscar Niemeyer - 100 anos

"A arquitetura não é o principal, o principal é a vida, a gente tem que trabalhar para fazê-la mais justa.
Oscar Niemeyer, que hoje celebra 100 anos de idade
Algumas das obras de Oscar Niemeyer:
Arquitetura

1937 - Obra do Berço - Rio de Janeiro - Brasil
1938 - Casa de Oswald de Andrade - São Paulo - Brasil
1939 - Pavilhão do Brasil na Feira Mundial de Nova York - Nova York - EUA
1939 - Edifício Gustavo Capanema - Rio de Janeiro - Brasil
1940 - Conjunto da Pampulha - Belo Horizonte - Brasil
1951 - Conjunto Ibirapuera - São Paulo - Brasil
1951 - Conjunto Copan - São Paulo - - Brasil
1952 - Sede das Organizações das Nações Unidas (ONU) - Nova York - EUA
1952 - Casa das Canoas - Rio de Janeiro - Brasil
1954 - Museu de Arte Moderna (MAM) em Caracas - Caracas - Venezuela
1954 - Oca do Parque do Ibirapuera - São Paulo - Brasil
1957 - Palácio da Alvorada - Brasília - Brasil
1957 - Ministério da Justiça - Brasília - Brasil
1958 - Catedral - Brasília - Brasil
1958 - Praça dos Três Poderes - Brasília - Brasil
1958 - Congresso Nacional - Brasília - Brasil
1958 - Supremo Tribunal Federal - Brasília - Brasil
1958 - Palácio do Planalto - Brasília - Brasil
1962 - Palácio do Itamaraty - Brasília - Brasil
1962 - Ministério das Relações Exteriores - Brasília - Brasil
1967 - Sede do Partido Comunista Francês - Paris - França
1968 - Centro Musical - Rio de Janeiro - Brasil
1968 - Hotel Nacional - Rio de Janeiro - Brasil
1968 - Editora Mondadori - Segrate (Milão) - Itália
1968 - Mesquita de Argel - Argel - Argélia
1968 - Centro Cívico - Argélia
1969 - Universidade de Constantine - Constantine - Argélia
1972 - Bolsa do Trabalho - Bobigny - França
1972 - Centro Cultural de Le Havre - Le Havre - França
1980 - Memorial JK - Brasília - Brasil
1983 - Passarela do Samba - Rio de Janeiro - Brasil
1983 - Prédio-Sede da Rede Manchete de Televisão - Rio de Janeiro - Brasil
1985 - Panteão da Pátria - Brasília - Brasil
1986 - Casa do Cantador - Brasília - Brasil
1987 - Memorial da América Latina - São Paulo - Brasil
1987 - Sede do jornal L¿humanité - Saint-Denis - França
1991 - Museu de Arte Contemporânea - Niterói - Brasil
1991 - Sambódromo - São Paulo - Brasil
1994 - Museu O Homem e Seu Universo - Brasília - Brasil
1994 - Torre da Embratel - Rio de Janeiro - Brasil
2002 - Museu Oscar Niemeyer - Curitiba - Brasil
2006 - Complexo Cultural da República João Herculino - Brasília - Brasil

Urbanismo

1964 - Plano Neguev - Deserto de Neguev - Israel
1967 - Conjunto Urbanístico em Grasse - Grasse - França
1981 - Ilha de Lazer em Abu-Dhabi - Emirados Árabes

Mobiliário

1971 - Estrutura em madeira prensada; assento e encosto em couro
1974 - Estrutura em laminado de madeira prensada; com palha de Viena
1977-78 - Estrutura em laminado de madeira prensada; com palha de Viena

Escultura

1972 - Mão - Centro Cultural de Le Havre
1980 - Monumento JK - Brasília - Brasil
1986 - Monumento Tortura nunca mais - Rio de Janeiro - Brasil
1988 - Mão - Memorial da América Latina - São Paulo - Brasil
1988 - Monumento Nove de Novembro - Volta Redonda - Brasil
1991 - Memorial Gore-Almadies - Dakar - Senegal

Serigrafia

1987-88 - Gravura - 55 x 55 cm

Cenografia

1956 - Cenário de Niemeyer para a peça Orfeu da Conceição, de Vinícius de Moraes - Brasil

Editorial e Ilustração

Ilustração para o livro de Ferreira Gullar
Revista Módulo
Ilustração para o livro de Dias Gomes
Ilustração para o livro de Carlos Drummond de Andrade

Literatura

1966 - Quase Memórias: Viagens
1976 - Minha Experiência em Brasília
1978 - A Forma na Arquitetura
1980 - Rio: de Província a Metrópole
1986 - Como Se Faz Arquitetura
1989 - Trecho de Nuvens
1992 - Meu Sósia e Eu
1993 - Conversa de Arquiteto
1999 - Meu Sósia e Eu
2000 - As Curvas do Tempo
2004 - Minha Arquitetura: 1937-2004
2006 - Sem Rodeios

Fonte: Portal Terra

-----------

Todo dia passo na frente de uma grande obra do Oscar, o Sambódromo. É o espaço do samba, com uma arquitetura que se destaca.

Parabéns arquiteto, pelo teus 100 anos!
15/12/2007


13 de dez de 2007

Prostituição infanto-juvenil: o que os pais têm haver com isso? Ou: Quem educa nossos filhos?!?

Luciana Vieira*

O texto de hoje é apenas um lançar de idéias, meio ansioso e muito preocupado... Uma tentativa de levar à reflexão, quiçá à discussão, de nossa sociedade cruel e consumista e da educação que estamos oferecendo a nossos filhos. Filhos que devíamos proteger, cuidar, ensinar... Filhos que deveriam mais que ter, ser... Ser valorizados, acarinhados, criados para o mundo lá fora (de nossas asas)...

A pergunta é: Diante de tantas preocupações no patamar social, ecológico, ambiental... Etc e tal.... Que mundos estamos oferecendo para nossos filhos e que filhos estamos oferecendo para o nosso mundo?

Hoje estava discutindo com uma colega, em pleno PED do PT (sim, eu sou petista, de carteirinha... dá licença!). Falávamos sobre a educação de nossos filhos e do mundo hoje, sobre a lastimável fome de consumo a que nossos filhos (e jovens de todo o mundo) são conduzidos...

Estive lembrando de críticas que fiz a educação de um adolescente próximo. Menino ávido por roupas de marca, coisas caras, etc... E totalmente desprovido de valores humanos e ignorante sobre o seu valor enquanto pessoa. Um menino que é apenas mais um, no meio de tantos, a perder seu tempo com coisas que na verdade, não tem valor algum... Iludido com promessas de pais que não souberam colocá-lo no lugar devido... O de filho.

Veio-me uma pergunta à mente: Quando foi que começamos a prostituir nossos jovens? Sim, porque os pais vêm prostituindo seus filhos quando os vêem em plena febre consumista e não buscam a cura. Deixam seus filhos relegados a uma mídia que impregna suas mentes, que os faz ser apenas o que vestem, o que calçam, o que consomem... Seres sem conteúdo...

Essa minha amiga estava me contando sobre uma conhecida, que pagava para a filha freqüentar uma academia. Dizia ela: "Não está linda minha filha? Vai arrumar um marido rico!!"
Fiquei de boca aberta!! Com que ingenuidade ou ignorância uma mãe se coloca a dizer que a filha nada mais é do que um objeto a ser vendido? (Sim, porque é isso que ela se torna. Um pedaço de carne exposto a ser leiloado. Quem pagar mais, leva...)

Onde foi parar a valorização pelo mérito de conseguir galgar degraus por si mesmos? "Ahhh! Ela não tem capacidade, tem que se virar..." Pois é... O objetivo do "casamento rico", "do jeitinho", "do se virar"... E até lá, por quantas passarão, no ímpeto de "fazer qualquer coisa" para alcançar objetivos tão baixos? Isso me faz lembrar que a incidência do vírus HIV tem aumentado entre as meninas na proporção de 3 ou 4 meninas para cada menino, segundo uma reportagem que vi. Nessa mesma reportagem uma menina de uma comunidade qualquer dizia: "Eu transo sem camisinha com meu namorado porque senão ele arruma outra". Como se ele, para ser o "macho" não fosse fazer a mesma proposta a outra menina qualquer (ou a mais 2, conforme pesquisa). Aliás, não podemos esquecer que em muitas comunidades o "casamento rico" se traduz no poder se vestir, se alimentar, ser protegida pela "elite" da comunidade: o tráfico.

Muitos pais vêm "esquecendo" de valorizar a capacidade de nossos jovens, de dizer que podem ser aquilo que quiserem. Que podem mudar o mundo... E mais: podem ser felizes muito mais por suas realizações do que por ter a camisa X ou o tênis Y... Fica mais fácil comprar a camisa e o tênis...

Vejo nossos jovens expostos à vida lá fora, sem qualquer proteção, achando que por estar "tão bonitinho com a roupa nova" (que custou metade da renda da família, se não mais) vão conseguir um bom emprego, num local de trabalho ideal...

Queremos tornar nossos filhos diferentes, primeiros, invejáveis... E os tornamos meros castiçais adornados com a ignorância, com a desvalorização do seu eu... Só porque tem um loiro na televisão que por ser "um gatinho" mesmo falando errado, conseguiu um contrato com salário alto naquela transmissora de televisão... Esquecem de fazer a conta: ele é um em 65 milhões...

Mas onde está o erro? Nos pais que superprotegem seus filhos, livrando-os de toda e qualquer dificuldade, facilitando excessivamente o acesso a bens materiais, alimentando a fome de consumo com a velha desculpa do "eu quero dar ao meu filho tudo que não pude ter"? Ou nos jovens que vão se acostumando a ter tudo fácil, que se tornam cada dia mais exigentes... Até que um dia... Seus pais não podem mais dar... E aí...

Aí é a vida que vai ter que dar um basta, um limite... E este pode ser definitivo...

02/12/2007

___________________________________________________________________

* Luciana Vieira é socióloga e diretora do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro
Blog: Enluaradas

Berzoini e Tatto destacam preparação do PT para 2010


A preparação para as eleições de 2010, a relação do PT com os movimentos sociais, a democracia interna e a juventude petista foram temas que se destacaram no debate realizado na manhã desta quarta-feira (12) entre os deputados Ricardo Berzoini e Jilmar Tatto, que disputam a presidência nacional do partido no segundo turno do PED 2007. O debate aconteceu na sede nacional do partido, em Brasília.

Durante mais de uma hora, os dois candidatos apresentaram suas propostas e posicionamentos políticos com relação à condução do PT nos próximos dois anos. Também foram feitas seis intervenções de apoiadores das duas candidaturas, com perguntas, questionamentos e comentários sobre as suas propostas.

Berzoini e Tatto destacaram o acúmulo político conquistado pelo PT, principalmente nas eleições de 2006, com a reeleição de Lula à presidência da República, a maior votação para deputados federais entre todas as legendas e a conquista de cinco governos estaduais. Eles creditaram essas vitórias ao grande esforço realizado pela direção nacional que foi eleita no PED 2005, após a crise política vivida pelo partido naquele mesmo ano.

Eleições 2010
Tanto Berzoini como Tatto consideram a preparação do PT para a disputa das eleições presidenciais em 2010 um dos grandes desafios para o partido.

Para Tatto, o PT deve trabalhar para consolidar uma candidatura própria em 2010, com a apresentação de um programa que defenda o governo Lula e da negociação de uma aliança com os partidos de centro-esquerda que já fazem parte da coalizão atual.

Berzoini afirmou que não existem argumentos contra uma candidatura própria do partido para a sucessão de Lula, mas adiantou que para isso é necessária a construção de um cenário político favorável, com a elaboração de um programa que não tenha somente o apoio dos partidos aliados, mas do conjunto da sociedade brasileira.

Movimentos sociais
A relação do PT com os movimentos sociais do país foi bastante debatida pelos dois candidatos.

Para Tatto, o partido precisa mudar a sua agenda política para resgatar o diálogo com o movimento popular e sindical, para atuar na defesa de questões como a implantação das 40 horas semanais e o debate em torno de uma educação pública de qualidade. Ele defende uma relação mais direta entre o governo Lula e os movimentos.

Para Berzoini, o partido não se afastou dos movimentos sociais porque existem diversos petistas atuando na organização da sociedade civil e em diversas frentes de luta. Ele afirmou que o petista que atua no movimento está investido de poder para reivindicar melhorias, enquanto que os que estão no governo federal estão investidos da condição de realizar políticas de Estado. Na sua opinião, as contradições resultantes deste processo são naturais, principalmente para um partido que tem projeto de poder como o PT.

Democracia interna
Os candidatos manifestaram a sua preocupação com relação a uma nova forma de organização interna do partido.

Tatto destacou a necessidade da elaboração de um código de ética, proposta aprovada no 3º Congresso Nacional, além da constituição de um pacto partidário sobre o comportamento partidário dos parlamentares e militantes. Além disso, ele propõs a “radicalização” da democracia, com igualdade de condições para todas as correntes.

Berzoini afirmou que, apesar da grande participação dos militantes no primeiro turno do PED 2007, com mais de 325 mil votantes, existe uma preocupação com relação à filiação partidária. Ele defendeu uma discussão em torno de um novo conceito de filiação, nível de formação política do filiado e o fim do “assistencialismo” interno.

Juventude
A questão da organização da juventude petista foi considerada pelos dois candidatos como um grande desafio para o partido e uma prioridade para a nova direção nacional, que lembraram a aprovação pelo O 3º Congresso Nacional do PT do I Congresso Nacional da Juventude Petista. Berzoini e Tatto concordam que o futuro do PT depende de uma participação mais ativa da juventude que, nos últimos anos, está mais presente nas ações do partido em todo o país.

Fonte: Diretório Nacional do PT


12 de dez de 2007

PELA VERDADEIRA MUDANÇA DO PT, A MENSAGEM CONTINUA

PELA VERDADEIRA MUDANÇA DO PT, A MENSAGEM CONTINUA

Já no primeiro turno do PED constatávamos um fato impressionante na disputa pela nova direção do PT. Todos se propunham a mudar. Prova de que muita coisa vai mal no interior do partido. Mas, como em vários outros momentos de desgaste de uma maioria, a mudança é uma palavra-chave que esconde vários conteúdos. É preciso entender, pela comparação entre a prática partidária das forças internas representadas com as palavras dos textos, de que mudança se trata em cada caso. Pois sempre é possível que, depois de um processo eleitoral, os vitoriosos não façam mudança alguma, ou mudem para pior.

A alternativa da Mensagem continuará presente e ativa

Nós da Mensagem ao Partido nos propusemos a fazer mudanças no PT, que expressam nossas profundas convicções e nosso esforço para traduzi-las em nossa prática política. Por todo o Brasil, milhares de companheiros e companheiras foram à luta por estas idéias, defendendo generosamente suas convicções coletivas e socialistas, secundarizando perspectivas pessoais imediatas ou futuras.

A Mensagem ao Partido veio construindo uma convergência de forças internas do PT em torno de um programa de esquerda para superação da crise. É um processo ainda em curso e em ampliação. Crescemos bastante desde o lançamento da Mensagem, em Salvador, no mês de fevereiro de 2007.

Apresentamos ao 3º Congresso um programa atual de democratização do poder na sociedade brasileira e de construção de um outro Estado, que reconhece as transformações já iniciadas pelo governo Lula e que destaca a necessidade de serem aprofundadas para avançar na transição ao socialismo. O centro deste programa é a revolução democrática e a sua agenda (reforma política com constituinte exclusiva, sistema nacional de democracia participativa, democratização dos meios de comunicação de massa).

Este programa que apresentamos se vincula à retomada da identidade e da militância socialista do PT (através da crítica do processo de concentração do partido nas atividades, carreiras e cargos institucionais do Estado, que favorecem o surgimento de problemas éticos e que vai transformando a democracia interna num rito cada vez mais vazio de conteúdo ideológico). Este programa se vincula também à necessidade de uma coalizão de forças de esquerda (reconhecendo problemas comuns aos nossos vicejando nelas), e à perspectiva de construção de uma cultura socialista de massas no Brasil.

Nos apresentamos com chapa nacional ao PED e com uma plataforma de 13 pontos que resumiu as tarefas mais prementes desta fase da vida do PT. Seguimos à risca todas as regras definidas pela direção nacional para o PED, inclusive aquela que proibia o financiamento da campanha interna por pessoas jurídicas ou por pessoas físicas não filiadas ao PT. Não vinculamos a busca de apoios ao nosso candidato a presidente ou à nossa chapa a compromissos com candidaturas em 2008 ou 2010, muito menos com compromissos de financiar campanhas eleitorais. O nosso candidato a presidente, o companheiro José Eduardo Cardozo, nos representou de forma digna, combativa, qualificada e altiva. Deu-nos um exemplo de desprendimento e de dedicação.

Elegemos 14 dos 81 membros da nova Direção Nacional, centenas de outros nas direções estaduais e municipais. José Eduardo teve 57.694 mil votos entre os filiados que compareceram ao PED. Por pequena diferença não estamos no segundo turno para presidente nacional do partido. Agora, nos postos que conquistamos e em nossa atividade de militantes petistas, vamos continuar batalhando por estas idéias e práticas que defendemos.

No interior do partido vamos insistir na necessidade de mecanismos para que as decisões partidárias voltem a ser fruto de amplo debate, revitalizem os organismos de base e instrumentos coletivos, voltem a fazer do debate político ferramentas de formação socialista e de compreensão da realidade. Vamos continuar combatendo a crescente cultura eleitoreira no partido, sustentada por um exército de cabos eleitorais remunerados, que vai penetrando também as eleições internas e as prévias. Vamos resgatar a sustentação do partido na força de centenas de milhares de militantes convictos. Por isso, levaremos avante a luta por uma reforma política no país, mas também por uma reforma política interna que garanta a vitória nas disputas pela força das idéias e das lideranças, e não pelo controle dos aparelhos do partido, pelos aparatos parlamentares, pelo poder econômico, pelas promessas de favores, de financiamento de campanhas ou de atividades políticas, pela interferência dos governos na vida partidária, pelo voto de arrastão de filiados em massa. Rechaçamos esta lógica que introduz de fora para dentro do nosso partido elementos da política tradicional, historicamente recusados pelo PT, e que vão transformando o partido numa máquina eleitoral cada vez mais dependente do clientelismo, do dinheiro, e portanto, cada vez mais sujeito à corrupção. Pressionaremos para a imediata redação e aprovação de um Código de Ética no PT, e de mecanismos que façam valer suas normas na prática partidária e nos cargos públicos, para que elas não sejam letras mortas desrespeitadas. Lutaremos por um novo sistema de financiamento do partido, mais modesto, porém conforme com seus objetivos históricos.

Temos várias outras tarefas pela frente às quais nos dedicaremos: a defesa do governo Lula e do aprofundamento da transição para um modelo pós-neoliberal, um amplo movimento nacional pela reforma política, um sistema nacional de democracia participativa, a preparação do PT para expressivas vitórias nas próximas eleições municipais de 2008 e para a batalha de 2010, o reencontro ativo com os movimentos sociais, com a juventude, com as lutas agrárias e urbanas, com as lutas de mulheres, negros e outros setores discriminados, com a preservação da natureza, com a intelectualidade de esquerda, e a construção de um novo e criativo sistema de comunicação que passe por cima do atual monopólio da grande mídia.

As alternativas que foram ao segundo turno nacional

As duas candidaturas à presidência do PT que passaram ao segundo turno representam, em graus diferenciados, resistência e oposição a este programa de esquerda de superação da crise do PT, em boa parte expresso nas resoluções do 3º Congresso.

A candidatura Berzoini é sustentada por forças políticas que programaticamente vão se diferenciando, perdendo a homogeneidade que durante bom tempo caracterizou o antigo campo majoritário, que dirigiu o partido por mais de dez anos. A evolução dos acontecimentos mostrou que, enquanto principal força dirigente do PT, ela não conseguiu conduzir o partido para a realização simultânea de todos os aspectos que constituem sua essência: um partido de lutas políticas, sociais, culturais, ideológicas, simultaneamente a um partido exitoso em disputas eleitorais; uma forte presença da militância mobilizada, do debate de idéias e dos organismos de base ativos, convivendo com uma direção eficiente; um partido autônomo em relação a um governo muito mais amplo do que ele, e, ao mesmo tempo, seu principal suporte político. Este fracasso que acompanhou o período em que dirigiu o sucesso eleitoral do PT, além de estar no coração da crise do partido, está no centro da crise da corrente que hoje se chama Construindo um Novo Brasil.

O modelo do antigo campo majoritário de dirigir o PT se sustentou num tripé: transformação da estrutura partidária em máquina eleitoral; poder nas mãos de um pequeno grupo dirigente, garantido por uma maioria coesa em torno do principal objetivo estratégico – a conquista e o exercício da presidência da República; subordinação do partido ao governo, onde membros do pequeno grupo dirigente constituíam o núcleo central. Este modelo entrou em decadência na crise de 2005, com a falta de respostas claras para superação dos impasses, com o desaparecimento de sua antiga coesão, com o afastamento ou a apatia partidária de muitas de suas lideranças expressivas, com o seu enfraquecimento no núcleo central do governo.

A candidatura à reeleição de Berzoini veio suportada por forças que mais resistem a uma lógica de renovação política do PT. Foi uma reação conservadora a propostas renovadoras que começaram a surgir entre lideranças no interior da própria corrente, expressas pela candidatura abortada de Marco Aurélio Garcia à presidência. As lideranças minoritárias com mais afinidade com um programa de esquerda para o PT submeteram-se a uma unidade de sentido inercial sob o comando de uma maioria que resiste e se opõe a mudanças.

A candidatura de Jilmar Tatto surgiu sustentada por forças políticas heterogêneas. Bem menos conhecida no país do que a de Berzoini por sua inserção quase exclusivamente paulista, cresceu pelo apoio da corrente Movimento PT organizada principalmente em torno de parlamentares nos estados.

A candidatura de Tatto navega num discurso de oposição. Porém, a história do candidato e do núcleo das duas principais correntes paulistas que o sustentam, não é diferente do caminho que trilhou o antigo campo majoritário. Tanto que alguns quadros importantes se apressaram, após a proclamação dos resultados do primeiro turno, em propor a reconstituição daquele campo pela junção de Berzoini com Tatto.

O núcleo originário da candidatura Tatto trabalha com um forte pragmatismo eleitoral em torno de carreiras, de líderes e de grupos de interesse, num momento de horizonte estratégico baixo para o partido. Lançou mão intensamente da substituição de militantes por cabos eleitorais pagos (o mais emblemático dos exemplos se manifestou nas eleições paulistanas de 2004, quando milhares dos chamados “moranguinhos” foram contratados para fazer campanha no dia-a-dia no lugar da militância). Sua política adota e defende a filiação em massa no partido, e assim foi se fortalecendo nas eleições internas (onde pratica o transporte massivo dos filiados). Quando maioria e direção na cidade de São Paulo também centralizou o partido na mão de algumas pessoas e deixou de estimular os organismos de base , com o notório enfraquecimento dos diretórios zonais. Quando faziam parte do núcleo duro do governo Marta Suplicy na cidade de São Paulo, o partido não tinha autonomia, ao contrário, nele predominava a intensa força do governo, que levou estes agrupamentos a terem sólida maioria no diretório municipal. Nas relações com os outros partidos praticava então uma política de alianças amplíssima, chegando até a Paulo Maluf, como aconteceu no segundo turno das eleições de 2004 em São Paulo.

Seu núcleo originário e ativo pode ser caracterizado como de franca oposição a um programa de esquerda: defesa de programas econômicos neoliberais, resistência à proposta de reforma política, defesa de alianças amplíssimas, pragmatismo acentuado em detrimento da identidade socialista, construção de relações de clientela em prejuízo de um perfil militante socialista, incorporação de um padrão problemático em relação à ética pública.

Hoje, o núcleo desta candidatura, e o próprio candidato, representam as posições mais retrógradas e à direita do PT.

Seu poder de atração sobre outros setores que se apresentaram com programas de esquerda no primeiro turno do PED só pode se explicar pelo contra ao que está aí. Não será a primeira vez em que, nos processos políticos, a ilusão de mudança perturba a vista dos que querem mudança.

A posição da Mensagem diante das alternativas Berzoini e Tatto

A avaliação que temos do significado das candidaturas Berzoini e Tatto expressa os motivos de termos adotado a candidatura de José Eduardo Cardozo.

Não somos partidários simplesmente da mudança de dirigentes, pela simples mudança. Muito menos seremos partidários de substituições que aprofundem os elementos causadores de nossa crise, que ameaça transformar o PT num partido eleitoral dominado pela lógica fundada em carreiras individuais. Como a candidatura de Jilmar Tatto se nos afigura como uma mudança para pior, não temos razão para apoiá-la, por seu falso apelo oposicionista.

A candidatura Berzoini representa a tentativa de dar continuidade ao modelo partidário implementado pelo antigo campo majoritário, modelo esse que permitiu que se desenvolvesse um ambiente de perda de vitalidade ideológica e política e abriu espaço para alternativas, como a representada por Jilmar Tatto, que não só consideram “normal” como se, vencedoras, aprofundariam todos os aspectos negativos que vemos na prática do partido sob o comando do antigo campo majoritário.

Assim sendo, embora reconhecendo que, nenhuma das alternativas presentes no 2º turno representa a mudança necessária que propugnamos para o PT, a Mensagem, com base nesta análise, convoca a militância a participar ativamente do processo de 2º turno no PED, em todos os níveis, votando de acordo com a sua consciência no que entender como melhor para o PT. Essa posição da Mensagem reforça a necessidade de continuar organizando e fortalecendo um movimento de opinião permanente, amplo e plural para a defesa de um perfil democrático, socialista, ético e militante para o PT combinado com a defesa de um programa da revolução democrática.

Reafirmamos, como centralidade de nossos esforços nas novas direções partidárias e na nossa militância, a luta por um programa de esquerda para avançar na revolução democrática em curso e na superação da crise do PT, dispostos a nos somar com todos aqueles que, como nós, tiveram ou desenvolveram uma visão crítica sobre os processos vividos e renovaram as energias para refletir no cotidiano os objetivos estratégicos de nosso partido.

Plenária nacional da Mensagem ao Partido

São Paulo, 8 de dezembro de 2007.

9 de dez de 2007

Em memória de Heloneida e Vera Magalhães

Petistas realizam ato em memória de Heloneida e Vera

Esta foi uma semana de vitórias, com o PT apurando os resultados do PED 2007 e mostrando ao povo e ao mundo político a força e a garra de sua militância. Tanto em nível nacional quanto no Rio de Janeiro um número maior de votantes, em comparação ao PED de 2005, foi às urnas levar seu voto. Foram 326 mil, no país, e no estado foram mais de 23 mil.

Mas, apesar desta expressiva vitória, esta foi uma semana de luto. Os movimentos políticos e sociais que se organizam, no Brasil, desde os anos de 1960 perderam duas guerreiras, duas mulheres de fibra e exemplo de luta: Heloneida Studart nos deixou na manhã da última segunda-feira, após ser eleita presidente do PT da 25ª Zona Eleitoral. Despediu-se com mais uma bonita vitória.

Na terça, o mesmo coração, tambor do peito, levou-nos Vera Silvia Magalhães, ex-guerrilheira, mulher que colocou o amor ao país e à luta de resistência contra a ditadura militar acima da própria vida. Participou do seqüestro do embaixador dos EUA, Charles Elbrick, depois foi presa, sofreu as mais bárbaras torturas, foi solta em troca de outro embaixador que a luta armada de resistência seqüestrou. Vera Silvia lutou, perdeu, venceu, mas, sobretudo, viveu em busca da conquista das transformações políticas e sociais do país.

Dois exemplos de luta, dois exemplos de mulheres guerreiras. A seguir, o Portal reproduz um poema de verdade, de Vera, e o texto bonito de Marcos Quintanilha, assessor parlamentar do vereador Adilson Pires (PT-RJ), que circula entre petistas e, mais amplamente, na internet, em homenagem a Heloneida Studart, mas que muito bem pode ser estendido a Vera Sílvia. Afinal, tanto Heloneida quanto Vera são, agora, estrelas no amplo céu da memória social brasileira.

5 de dez de 2007

Resultados do PED 2007 - PT


BRASIL

Berzoini e Tatto vão para o 2º turno; PED teve mais de 320 mil votantes

Os deputados federais Ricardo Berzoini e Jilmar Tatto, ambos do PT de São Paulo, vão disputar o segundo turno das eleições para a presidência nacional do partido, que acontece no próximo dia 16 de dezembro.

A sexta parcial das apurações, divulgada às 21h desta terça-feira (4), mostra também que o total de petistas que participaram deste PED superou o de 2005. Nas eleições daquele ano, votaram 314.926 filiados. Agora, com 99% da apuração concluída, o número de votantes já é de 317.372. A expectativa é de que ultrapasse 320 mil.

Até o momento, Berzoini teve 129.191 votos (43,75%), contra 60.578 de Jilmar Tatto (20,51%). Na terceira colocação segue José Eduardo Cardozo, com 55.891 (18,93%).

Confira abaixo todos os números da sexta parcial:

Candidatos

Ricardo Berzoini – 129.191 - 43,75%

Jilmar Tatto – 60.578 - 20,51%

José Eduardo Cardozo – 55.891 - 18,93%

Valter Pomar - 33.755 - 11,43%

Gilney Viana - 11.104 - 3,76%

Markus Sokol – 2.883 - 0,98%

José Carlos Miranda - 1.921 - 0,65%

Brancos - 15.867

Nulos – 6.182

TOTAL – 317.372

Chapas

Construindo um Novo Brasil – 42,91%

Partido é Pra Lutar – 19,69%

Mensagem ao Partido – 16,84%

A Esperança é Vermelha – 11,13%

Militância Socialista – 4,97%

Movimento Popular – 1,49%

Terra, Trabalho e Soberania – 1,21%

Democracia Pra Valer – 1,13%

Programa Operário e Socialista – 0,62%



RIO DE JANEIRO

Apuração de 90% do Rio de Janeiro mostra Cantalice reeleito

Faltando ainda a apuração final em cerca de 10 municípios, o resultado parcial da apuração de pouco mais de 22 mil votos do PED 2007 no Rio de Janeiro aponta a vitória virtual do atual presidente do PT-RJ, Alberto Cantalice, com 10.916 votos (52,82%) dos votos.

Em segundo lugar aparece Cida Diogo, com 4.866 (23,55%); Washington Quaquá, 3.221 (15,59%); Aurélio Medeiros, 881 (4,26%); e Eric Vermelho, 764 (3,70).

Neste cômputo parcial dos votos faltam as apurações das urnas de municípios menores em termos de filiados, bem como a totalização dos votos conferidos à candidatura de Christiane Granha, da chapa Terra, Trabalho e Soberania.

Até o meio da tarde já estavam computados 22.280 votos, dos quais 1.340 em brancos e 274 nulos, resultando, portanto, 20.666 votos válidos.

Nos municípios de maior número de votantes os resultados, segundo esta apuração ainda parcial, são os seguintes:

Rio de Janeiro: Cida – 1.520; Eric – 227; Quaquá – 1.213; Cantalice – 3.263; Aurélio –264;

Niterói: Cida – 937; Eric – 6; Quaquá – 179; Cantalice – 876; Aurélio – 81;

São Gonçalo: Cida – 181; Eric – 208; Quaquá – 168; Cantalice – 756; Aurélio – 137;

Duque de Caxias: Cida – 93; Eric – 13; Quaquá – 173; Cantalice – 669; Aurélio – 31;

Nova Iguaçu: Cida – 155; Eric – 21; Quaquá – 262; Cantalice – 387; Aurélio – 9;

Volta Redonda: Cida – 678; Eric – 75; Quaquá – 6; Cantalice – 154; Aurélio – 2.

Segundo turno no município do Rio

Está confirmada a realização de segundo turno para a eleição da presidência municipal do PT do Rio. Vão disputar Alberes Lima, com 2.870 votos, e Antonio Neiva, com 1.452. Os números ainda são parciais e deverão ter alterações no cômputo final da apuração dos votos.

Fonte: Diretório Estadual do PT - RJ - 04/12/2007

RIO GRANDE DO SUL

4ª PARCIAL

Até às 21 horas , de segunda-feira (3) com 263 municípios apurados, num total de 23.455 votos apurados o resultado parcial do PED no Rio Grande do Sul é:

Atualizado às 11h30min desta terça-feira (4) - o servidor Terra estava fora do ar

(*) faltava apurar 91 municípios para encerrar a apuração no RS.

  • PRESIDENTE NACIONAL

[110] – Markus Sokol – nº de votos = 105

[120] – Valter Pomar – nº de votos = 4.007

[140] – José Eduardo Cardozo – nº de votos = 10.495

[150] – Jilmar Tatto – nº de votos = 2.905

[170] – Gilney Viana – nº de votos = 98

[180] – Ricardo Berzoini – nº de votos = 4.716

[190] – Miranda – nº de votos = 93

  • CHAPA NACIONAL

[210] - Terra, Trabalho e Soberania – nº de votos = 152

[220] – A Esperança é Vermelha - nº de votos = 3.706

[230] – Democracia pra Valer - nº de votos =152

[240] – Mensagem ao Partido - nº de votos = 10.068

[250] - Partido é pra Lutar - nº de votos = 2.843

[260] – Movimento Popular - nº de votos = 154

[270] – Militância Socialista - nº de votos = 86

[280] – Construindo um Novo Brasil - nº de votos = 4.578

[290] – Programa Operário e Socialista - nº de votos =88

  • PRESIDENTE ESTADUAL

[310] – Marcelo Carlini - nº de votos = 63

[350] – Cícero Balesttro - nº de votos = 1.115

[380] – Maria Eunice Wolff - nº de votos = 4.376

[390] – Olívio Dutra - nº de votos = 16.731

  • CHAPA ESTADUAL

[410] – Terra, Trabalho e Soberania - nº de votos = 221

[420] – A Esperança é Vermelha - nº de votos = 3.591

[430] – Diálogo por um PT Renovado - nº de votos = 4.138

[440] – Mensagem para Mudar o Partido - nº de votos = 7.629

[450] – Partido é Pra Lutar - nº de votos = 1.565

[480] – Construindo um Novo Brasil - nº de votos = 4.333

Fonte: Diretório Estadual do PT - RS

CANOAS - RS

RESULTADO FINAL DO PED EM CANOAS

Foi realizado nesse domingo (02/12) o Processo de Eleições Diretas (PED) do Partido dos Trabalhadores (PT) em nível nacional. O PED renovou as direções Nacional, Estaduais e Municipais.
Em Canoas, foram 1210 filiados que participaram do processo, demonstrando o poder de mobilização do partido. Um bom sinal para um ano pré-eleitoral.
O resultado em Canoas foi o seguinte:

PRESIDENTE NACIONAL

110 - M. SOKOL - 5 votos - 0,43%
120 - V. POMAR - 156 votos - 13,30%
140 - CARDOZO - 630 - 53,71%
150 - TATTO - 65 votos - 5,54%
170 - G. VIANA - 3 votos - 0,26%
180 - BERZOINI - 312 votos - 26,60%
190 -MIRANDA - 2 votos - 0,17%
BRANCOS - 25 votos
NULOS - 12 votos
VOTOS VÁLIDOS - 1173 votos
TOTAL - 1210 votos

CHAPA NACIONAL

210 - TERRA, TRABALHO E SOBER. - 3 votos - 0,26%
220 - A ESPERANÇA É VERMELHA - 153 votos - 13,20%
230 - DEMOCRACIA PRA VALER - 3 votos - 0,26%
240 - MENSAGEM AO PARTIDO - 620 votos - 53,49%
250 - PARTIDO É PRA LUTAR - 68 votos - 5,87%
260 - MOVIMENTO POPULAR - 9 votos - 0,78%
270 - MILITÂNCIA SOCIALISTA - 1 voto - 0,09%
280 - CONSTR. NOVO BRASIL - 296 votos - 25,54%
290 - PROGRAMA OPERÁRIO E SOC. - 6 votos - 0,52%
BRANCOS - 32 votos
NULOS - 19 votos
VÁLIDOS - 1159 votos
TOTAL - 1210 votos

PRESIDENTE ESTADUAL

310 - MARCELO - 3 votos - 0,26%
350 - CÍCERO - 51 votos - 4,35%
380 - EUNICE - 317 votos - 27,05%
390 - OLÍVIO - 801 votos - 68,34%
BRANCOS - 27 votos
NULOS - 11 votos
VÁLIDOS - 1172 votos
TOTAL - 1210 votos

CHAPA ESTADUAL

410 - TERRA, TRABALHO E SOBER. - 11 votos - 0,97%
420 - A ESPERANÇA É VERMELHA - 142 votos - 12,53%
430 - DIÁLOGO POR PT RENOV. - 22 votos - 1,94%
440 - MENSAGEM PARA MUDAR - 597 votos - 52,69%
450 - PARTIDO É PRA LUTAR - 51 votos - 4,50%
480 - CONSTR. NOVO BRASIL - 310 votos - 27,36%
BRANCOS - 67 votos
NULOS - 10 votos
VÁLIDOS - 1133 votos
TOTAL - 1210 votos

PRESIDENTE MUNICIPAL

500 - MATTGE - 294 votos - 25,68%
540 - BARÔNIO - 273 votos - 23,84%
580 - TEJADAS - 578 votos - 50,48%
BRANCOS - 58 votos
NULOS - 7 votos
VÁLIDOS - 1145 votos
TOTAL - 1210 votos

CHAPA MUNICIPAL

600 - PT DE LUTAS E SOCIALISTA - 295 votos - 25,61%
640 - DEMOCRACIA E SOCIALISMO - 243 votos - 21,09%
650 - PT AMPLO E DEMOCRÁTICO - 302 votos - 26,22%
680 - COMPROMISSO COM O PT/AD - 196 votos - 17,01%
690 - MOVIMENTO SOLIDARIEDADE - 116 - 10,07%
BRANCOS - 42 votos
NULOS - 16 votos
VÁLIDOS - 1152 votos
TOTAL - 1210 votos

Fonte: Blog do Anderson Fraga

Nota: Parabéns aos companheiros de Canoas pela maturidade na condução do PED. Desejo boa sorte ao Roberto Tejadas, novo presidente do PT, na condução de nosso partido nos próximos dois anos. Ao Jairo Jorge, companheiro de longa data, quero dizer que estarei aí para sua posse como novo prefeito de Canoas.