13 de dez de 2007

Berzoini e Tatto destacam preparação do PT para 2010


A preparação para as eleições de 2010, a relação do PT com os movimentos sociais, a democracia interna e a juventude petista foram temas que se destacaram no debate realizado na manhã desta quarta-feira (12) entre os deputados Ricardo Berzoini e Jilmar Tatto, que disputam a presidência nacional do partido no segundo turno do PED 2007. O debate aconteceu na sede nacional do partido, em Brasília.

Durante mais de uma hora, os dois candidatos apresentaram suas propostas e posicionamentos políticos com relação à condução do PT nos próximos dois anos. Também foram feitas seis intervenções de apoiadores das duas candidaturas, com perguntas, questionamentos e comentários sobre as suas propostas.

Berzoini e Tatto destacaram o acúmulo político conquistado pelo PT, principalmente nas eleições de 2006, com a reeleição de Lula à presidência da República, a maior votação para deputados federais entre todas as legendas e a conquista de cinco governos estaduais. Eles creditaram essas vitórias ao grande esforço realizado pela direção nacional que foi eleita no PED 2005, após a crise política vivida pelo partido naquele mesmo ano.

Eleições 2010
Tanto Berzoini como Tatto consideram a preparação do PT para a disputa das eleições presidenciais em 2010 um dos grandes desafios para o partido.

Para Tatto, o PT deve trabalhar para consolidar uma candidatura própria em 2010, com a apresentação de um programa que defenda o governo Lula e da negociação de uma aliança com os partidos de centro-esquerda que já fazem parte da coalizão atual.

Berzoini afirmou que não existem argumentos contra uma candidatura própria do partido para a sucessão de Lula, mas adiantou que para isso é necessária a construção de um cenário político favorável, com a elaboração de um programa que não tenha somente o apoio dos partidos aliados, mas do conjunto da sociedade brasileira.

Movimentos sociais
A relação do PT com os movimentos sociais do país foi bastante debatida pelos dois candidatos.

Para Tatto, o partido precisa mudar a sua agenda política para resgatar o diálogo com o movimento popular e sindical, para atuar na defesa de questões como a implantação das 40 horas semanais e o debate em torno de uma educação pública de qualidade. Ele defende uma relação mais direta entre o governo Lula e os movimentos.

Para Berzoini, o partido não se afastou dos movimentos sociais porque existem diversos petistas atuando na organização da sociedade civil e em diversas frentes de luta. Ele afirmou que o petista que atua no movimento está investido de poder para reivindicar melhorias, enquanto que os que estão no governo federal estão investidos da condição de realizar políticas de Estado. Na sua opinião, as contradições resultantes deste processo são naturais, principalmente para um partido que tem projeto de poder como o PT.

Democracia interna
Os candidatos manifestaram a sua preocupação com relação a uma nova forma de organização interna do partido.

Tatto destacou a necessidade da elaboração de um código de ética, proposta aprovada no 3º Congresso Nacional, além da constituição de um pacto partidário sobre o comportamento partidário dos parlamentares e militantes. Além disso, ele propõs a “radicalização” da democracia, com igualdade de condições para todas as correntes.

Berzoini afirmou que, apesar da grande participação dos militantes no primeiro turno do PED 2007, com mais de 325 mil votantes, existe uma preocupação com relação à filiação partidária. Ele defendeu uma discussão em torno de um novo conceito de filiação, nível de formação política do filiado e o fim do “assistencialismo” interno.

Juventude
A questão da organização da juventude petista foi considerada pelos dois candidatos como um grande desafio para o partido e uma prioridade para a nova direção nacional, que lembraram a aprovação pelo O 3º Congresso Nacional do PT do I Congresso Nacional da Juventude Petista. Berzoini e Tatto concordam que o futuro do PT depende de uma participação mais ativa da juventude que, nos últimos anos, está mais presente nas ações do partido em todo o país.

Fonte: Diretório Nacional do PT


Nenhum comentário: