29 de fev de 2008

Aos amigos de fé, camaradas...

A melhor forma de descobrir quem está ao teu lado, que é teu amigo,quem oferece o ombro quando você está mal mas também faz a crítica quando você está errado e aponta caminhos quando você está perdido, é quando você cai em desgraça pelos desígnios da vida ou pelas m... q você mesmo faz.
Este é teu amigo, este merece ser guardado no coração, para sempre. Para os amigos que tenho dedico a canção abaixo:

Canção Da América

Milton Nascimento

Composição: Fernando Brant e Milton Nascimento

Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir

Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar.

26 de fev de 2008

Expressa - a nova antologia da poesia quaraiense

Recebi do meu amigo e camarada Pedro Roberto Bueno Pinto (reside atualmente em Canoas-RS), um exemplar da primeira edição da nova antologia da poesia quaraiense, organizada por Galdino Barreto.
Deixo de lambuja uma poesia do Pedro Bueno que também é grande declamador:

DEVORADORES DE LIXO

Deus, dai-me força,
Para que eu possa ver,
Bem lá no fundo de cada ser,
Que não são seres
Por nunca ser.
Que não se cansam de rastejar,
Que já sem dentes pra mastigar
O que sobrou de outro manjar,
Comida boa pra se juntar,
Pois talvez seja
Até caviar,
Que está misturado nesse mingau
Que agora é
O meu jantar

Entenda o processo eleitoral americano

Por esse processo pode ser presidente quem tem o menor número de votos.
Os comentários eu deixo para vocês!
Abraços,
Gerson


da BBC Brasil

O caminho para a Casa Branca é longo, complicado e caro.

O processo começa com as escolhas dos candidatos que vão concorrer às eleições, em uma disputa quase tão acirrada quanto a própria corrida presidencial. Essa escolha pode ocorrer de diferentes formas, dependendo do Estado.

A eleição em si também não é simples e ocorre por meio de um colégio eleitoral, o que em alguns casos extremos pode significar que o vencedor tem menos votos do que o perdedor.

Entenda como funciona esse caminho para o posto político mais influente do mundo.

Estágios iniciais

Um político com ambições presidenciais costuma formar um comitê exploratório para testar suas chances e arrecadar fundos para uma campanha, às vezes até dois anos antes da eleição.

Depois, declara formalmente sua candidatura à indicação de seu partido e inicia campanha em Estados cruciais.

Eleições primárias

A temporada das primárias começa em janeiro e dura até junho. Nesse processo, os candidatos lutam dentro dos principais partidos --o Republicano e o Democrata-- pela indicação para concorrer à Presidência.

Eleitores em cada um dos 50 Estados americanos elegem delegados partidários que, na maioria dos casos, prometeram apoiar um determinado candidato. Para escolher os delegados, alguns Estados usam uma prévia, ou caucus - -sistema de reuniões políticas--, ao invés de uma primária, que é uma votação por meio de cédula.

Neste ano, primárias e caucus começam mais cedo do que o de costume porque os Estados entraram em uma corrida para se tornarem os primeiros a ter votações.

O Estado de Iowa tradicionalmente dá início à temporada com seus caucus, seguido, uma semana depois, pelas primárias de New Hampshire.

Neste ano, a disputa se tornou tão intensa que os dois Estados decidiram realizá-las no começo de janeiro para proteger a sua posição no calendário.

Qual é a importância de ser o primeiro a realizar consulta popular?

O pequeno Estado de New Hampshire (população: 1,3 milhão) tem grande orgulho de seu status de "primeiro da nação" --e uma lei estadual determina que sua primária seja realizada pelo menos uma semana antes da de qualquer outro Estado.

Iowa (população: 3 milhões) tem uma lei estadual semelhante que determina que qualquer tipo de votação deve ser realizado primeiro lá, e deseja manter o seu status. Os dois Estados têm um acordo, e Iowa promove um caucus e não uma primária.

Em termos práticos, os primeiros Estados acabam recebendo maior atenção dos candidatos do que seu tamanho ou peso político normalmente garantiria. Com isso, questões importantes para os seus eleitores ficam em maior evidência, o que em última análise pode ampliar as chances de que os problemas locais recebam mais atenção do futuro presidente.

Além disso, há vantagens econômicas nesses Estados que decorrem dos recursos extras levados pela propaganda eleitoral na televisão e de visitas freqüentes de candidatos e imprensa durante a disputa.

Outra questão é que é comum que candidatos se tornem praticamente imbatíveis depois de vencer um número substancial de primárias, o que torna as disputas nos Estados que as realizam por último muitas vezes irrelevantes.

Neste ano de grande disputa, houve alguma consequência por causa da "guerra de datas"?

Michigan e a Flórida levaram as lideranças nacionais dos partidos a ameaçar sanções porque buscaram mudar o cronograma, realizando suas primárias em janeiro.

O Comitê Nacional Democrata (DNC, na sigla em inglês) estabeleceu normas que permitem que apenas os Estados de Nevada e Carolina do Sul juntem-se a New Hampshire e Iowa na "janela" antes de 5 de fevereiro.

Numa tentativa de restaurar a disciplina, o DNC ameaçou punir os democratas da Flórida, excluindo seus delegados da convenção nacional. Com isso, eles não teriam influência sobre o político indicado pelo partido para concorrer à Casa Branca.

A cúpula estadual do Partido Democrata entrou na Justiça contra a medida dizendo que a iniciativa levaria a uma retirada dos direitos dos 4 milhões de democratas registrados para votar no Estado.

Em uma demonstração de apoio ao DNC, todos os oito candidatos democratas à indicação prometeram não realizar campanha em Michigan - cinco deles retiraram seus nomes da cédula eleitoral da primária no Estado. Neste grupo está Hillary Clinton, que vem liderando as pesquisas de intenção de voto.

O Comitê Nacional Republicano (RNC, na sigla em inglês) também ameaçou excluir da convenção nacional delegados de Estados que violaram normas partidárias ao marcarem eleições primárias antes de fevereiro.

Entre eles estão New Hampshire, Flórida, Wyoming, Michigan e Carolina do Sul.

Iowa e Nevada vão escapar de sanções porque realizam caucus e não primárias.

Qual é a diferença entre a prévia, ou caucus, e a primária?

Nos caucus em Iowa os eleitores se reúnem em casas, escolas e outros edifícios públicos em mais de 2 mil distritos em todo o Estado para discutir seus candidatos e temas eleitorais.

Eles elegem, então, delegados para as convenções de condados. Estas convenções, por sua vez, elegem delegados para as convenções estaduais, de onde sairão os delegados nacionais.

Nos caucus democratas de Iowa, os eleitores se dividem publicamente em grupos, reunindo-se em cantos diferentes de uma sala para manifestar seu apoio a diferentes candidatos, e os delegados são alocados de acordo com isso.

Eleitores nos caucus republicanos do Estado participam de uma votação secreta, e os resultados é que vão definir a alocação de delegados.

O procedimento em caucus de outros Estados pode ser diferente de acordo com as suas leis estaduais.

Eleições primárias como as que se realizam em New Hampshire permitem que todos os eleitores registrados no Estado votem diretamente em seu candidato preferido.

Mas existem três tipos diferentes de primárias.

Em primárias fechadas, os eleitores só podem participar da escolha do partido em que forem registrados. Em primárias abertas, um eleitor pode votar na primária de qualquer partido, mas só pode participar de uma. Mais raras, existem ainda as primárias em que os eleitores podem votar nos candidatos dos dois partidos.

Como foram as mudanças no calendário dos últimos anos?

Em 2004, apenas nove Estados --Iowa, New Hampshire, Delaware, Carolina do Sul, Arizona, Missouri, Dakota do Norte, Novo México e Oklahoma-- realizaram votações antes de 5 de fevereiro.

Estados grandes como Califórnia, Ohio e Nova York realizaram suas votações na chamada "Super Terça-Feira", então em 2 de março.

Em 2008, pelo menos 22 Estados vão realizar sua consulta popular antes ou em 5 de fevereiro - a nova Super Terça -, inclusive Califórnia, Illinois, Nova York e Nova Jersey.

A convenção partidária

É nas convenções partidárias nacionais, realizadas poucos meses antes da eleição presidencial, que os candidatos à Presidência são indicados formalmente.

Delegados escolhidos durante as primárias estaduais escolhem os indicados, embora neste estágio o partido normalmente já saiba quem ganhou.

Na convenção, o candidato vitorioso escolhe o vice para a sua chapa, por vezes entre os candidatos derrotados na convenção.

A reta final

Só depois das convenções nacionais é que os candidatos medem a força um do outro. Há grandes gastos em propaganda e intensa campanha de Estado em Estado. Os debates entre candidatos na televisão também atraem muita atenção. Eles podem envolver postulantes independentes, mas isso não é obrigatório.

Nas semanas finais antes do pleito, os candidatos costumam concentrar sua atenção nos grandes Estados onde há indecisão.

A eleição presidencial

A eleição presidencial americana é realizada sempre na primeira terça-feira de novembro. Em 2008 será em 4 de novembro.

Tecnicamente os eleitores não participam de uma eleição direta. Eles escolhem "eleitores" que se comprometem com um ou outro candidato e formam um Colégio Eleitoral.

Cada Estado tem um determinado número de eleitores no colégio, baseado no tamanho de sua população.

Em quase todos os Estados, o vencedor do voto popular, mesmo que por uma margem mínima, leva todos os votos do colégio eleitoral daquele Estado.

Por causa deste sistema, um candidato pode chegar à Casa Branca sem ter o maior número de votos populares em âmbito nacional, como aconteceu no pleito de 2000, quando George W. Bush venceu ao Al Gore, mas teve um número de votos menor.

Fonte: 08/01/2008 - 09h46 - Folha On-Line



21 de fev de 2008

GENEALOGIA: A HISTÓRIA DA SUA FAMÍLIA

Como fazer sua pesquisa genealógica
Que tipo de documentos procurar e onde encontrá-los.
Pesquisa no Brasil e no estrangeiro.


por Rubem Queiroz Cobra


Como fazer sua pesquisa genealógica. A consciência de família e de tradição é a raiz da cidadania e da auto estima. O conhecimento da origem da família, sua ligação a uma tradição, a uma cultura, a uma religião, é o campo da Genealogia. Esse conhecimento é parte fundamental da estrutura de identidade do Eu e requisito fundamental também para a autenticidade e maturidade da personalidade de cada um. O propósito destas páginas é estimular o interesse das pessoas pela pesquisa genealógica.

O entendimento desse papel fundamental da genealogia é, no entanto, dificultado pela tendência da maioria das pessoas a achar que somente a família que se liga à nobreza européia merece estudo. Isto subverte a pesquisa; leva o indivíduo a procurar primeiro o seu sobrenome entre as famílias nobres, a copiar brasões e enlear-se num sonho de fidalguia sem conhecer primeiro sequer quem foi seu avô. O estudo da origem da família deve ser despido de qualquer preconceito, idéia pré-concebida, excesso de imaginação, etc.. Deve ater-se aos documentos, e lembrar-se a pessoa de que mesmo entre as famílias nobres existem vários ramos diferentes com o mesmo sobrenome, e um sobrenome nobre pode aparecer em quem não é.

Portanto, a pesquisa genealógica deve partir da identidade dos pais, dos avós, bisavós, e prosseguir em recuo até onde for possível chegar com base na documentação dos arquivos.

Contratar pesquisadores. Esta providência deve ser deixada para mais tarde, e não é, definitivamente, o melhor modo de iniciar uma pesquisa genealógica. O interessado em conhecer a história da sua família deve ir primeiro às fontes mais próximas dele, que são os seus parentes mais velhos, e levantar as tradições familiares, descobrir onde a família viveu por mais tempo nos séculos passados, com que outras famílias se uniu, e o mais que seus pais, tios e avós possam informar. Para contratar um pesquisador é necessário ter essas informações mínimas. Quanto mais precisos os dados disponíveis para o pesquisador profissional, mais rápido e profícuo será o seu trabalho. Um modelo de contrato de pesquisa está na página Instrumento de Contrato Particular

Que tipo de documentos procurar e onde encontrá-los. A pesquisa genealógica é antes de tudo uma busca paciente de documentação.

Um dos mais importantes documentos para a genealogia é o registro de casamento. Este registro foi responsabilidade exclusiva da Igreja, enquanto a religião foi oficial, do Estado. No Brasil esta foi a situação até o século XIX. Após a proclamação da República passou a existir também o registro civil. Porém, mesmo o registro feito pela Igreja não é assim tão antigo, pois somente após a realização do Concílio Tridentino, que terminou por volta de 1563, os vigários ficaram obrigados a ter livros de registro em suas paróquias.

Os arquivos da Igreja em geral estão nas Cúrias Diocesanas e Arquidiocesanas, ou nas próprias Ordens Religiosas.

Em todas as repartições e cartórios existe a seção de Arquivo. No entanto, com o passar dos anos, os documentos são enviados, obedecidos alguns critérios, para os Arquivos Municipais e Estaduais, e para o Arquivo Nacional. Existem também arquivos na Marinha, no Exército, e em outras repartições que retêm por muito tempo os seus acervos, antes de encaminhá-los ao Arquivo Nacional. Sobre tipos de documentos e onde encontrá-los veja ARQUIVOS.

Arquivos dos Mórmons. São riquíssimos os arquivos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, cuja sede é em Utah, nos Estados Unidos. Os documentos por ela micro filmados estão já em parte arrolados no site da Igreja The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints: International Genealogical Index. Incluem documentos brasileiros. Se você encontrar parentes no estrangeiro, crie uma página na Internet em Inglês, para facilitar contactos internacionais (exemplo, nossa página The Cobra Family Genealogy).

Uma breve explicação sobre os Mórmons, está ao final da página ARQUIVOS.

Nomes e abreviaturas. A leitura da documentação antiga é uma tarefa um tanto difícil para o iniciante, mas que vai, após algum esforço, tornando-se cada vez mais fácil. Existem umas poucas regras que facilitam muito a leitura dos documentos mais difíceis. É imprescindível também conhecer de antemão as formas de abreviatura comuns em cada época. Sofrem abreviatura não somente palavras comuns muito repetidas nos textos oficiais, como também os nomes mais comuns das pessoas. Existem livros inteiramente dedicados a este problema.

Alguns nomes e sobrenomes passaram a existir a partir de abreviaturas como por exemplo "Roiz", abreviatura de Rodrigues; Brites, abreviatura de Beatriz; Alves, provável abreviatura de Alvarez, etc. Veja algumas abreviaturas em nossa página Técnicas de leitura: nomes e abreviaturas em documentos dos séculos XVII E XVIII.

Tradição familiar. Não substitui os documentos, mas é importante para orientar a pesquisa no sentido de qual tipo e onde buscar documentos. Nomes de cidades, nomes de fazendas, histórias de imigração ou emigração, fatos políticos em que esteve envolvida a família, ficam como lendas deixadas pelas gerações mais antigas para as gerações mais novas. Essas lendas podem revelar pistas valiosas para a pesquisa.

Historiografia local. Enquanto produz a história da família, o pesquisador ficará inevitavelmente envolvido com a historiografia local. Fatos da história municipal, estadual e nacional irão adquirir um significado particular, quando encontrar um antepassado neles envolvido. Ao desenvolver minha própria pesquisa, surgiu como personagem de extrema relevância Dom Pedro Miguel de Almeida Portugal, o Conde de Assumar, governador de São Paulo e Minas, de quem um dos ancestrais da família Cobra, Domingos Rodrigues Cobra, foi procurador em vários de seus negócios. Ao encontrar vinculações dessa natureza, o pesquisador poderá trazer uma valiosa contribuição para o estudo da História em seu Estado.

Pesquisa no Brasil e no estrangeiro. Distribuição muito parecida à que tem a documentação no Brasil ocorre nos demais países, mas é comum nos países desenvolvidos existirem Sociedades de Genealogia que têm índice geral de documentos. Em Portugal existem os Arquivos dos Conselhos Municipais, os Arquivos Distritais, e o Arquivo Nacional conhecido por Torre do Tombo. Quanto à documentação que interessa à pesquisa de linhagens africanas, tem peculiaridades quanto a tipos de documento, locais de pesquisa, e uma metodologia que precisa ser divulgada por aqueles que acumularam experiência nessa área.

As Bibliotecas municipais, estaduais e as Bibliotecas Nacionais tanto no Brasil como no exterior têm, em geral, arquivos de livros e documentos históricos.

Obras já publicadas. O primeiro passo na pesquisa genealógica com certeza mais aconselhável é buscar encontrar alguma obra que tenha referências à sua família, ou possivelmente, uma obra já existente sobre a sua família. Há um grande número de obras de genealogia já publicadas no Brasil. Cito alguns títulos em BIBLIOGRAFIA.

Listas de debates e pesquisa. Existem listas de pesquisadores que trocam informações e se ajudam mutuamente na pesquisa. É útil para o iniciante participar de uma destas listas, ou de quantas estejam na área onde viveram seus ancestrais. Posso citar pelo menos 3:

a) A Lista de Genealogia Mineira, para os que pesquisam Minas Gerais e municípios vizinhos em São Paulo e Rio de Janeiro. Para registrar abra o endereço http://gen-minas.vilabol.uol.com.br e siga as instruções.

b) A Lista GENTRE para os que pesquisam em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Para registrar procure informações no endereço http://www.gentree.org.br/

c) A LISTA DE PORTUGAL para os que já estenderam sua pesquisa à suas origens portuguesas. Para registrar envie um e-mail para PORTUGAL-L-request@rootsweb.com colocando no assunto e no texto apenas a palavra "SUBSCRIBE".

Você pode localizar centenas de outras listas para diversos países se pesquiar através do GOOGLE as palavras rootsweb GENEALOGIA e yahoogroups GENEALOGIA.

Estudos conduzidos por nós. Nosso livro Um comerciante do século XVIII tem dois capítulos de genealogia comentados. A obra contem também a descrição de fatos históricos relativos ao governador das Minas Gerais, o Conde de Assumar, principalmente uma pista para os negócios que ele realizou quando no exercício do governo, em Mariana.

Presentemente desenvolvemos a pesquisa relativa à Família Távora. Os primeiros resultados são comentados na apostila Os Távora de Pernambuco.

Rubem Queiroz Cobra

Lançada em 19 de Julho de 2001

Direitos reservados. Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. - Genealogia: a história da sua família. COBRA.PAGES, www.nom.br, Internet, Brasília, 2001.
("www.geocities.com/cobra_pages" é "Mirror Site" de COBRA.PAGES)


Nota: a genealogia é uma das formas de aproximar a família. Descobrir parentes próximos e distantes. Conhecer um pouco mais as pessoas, dar forma, cor e vida para cidadãos que convivem e possuem laços que vão se perdendo ao decorrer do tempo. Enfim, é uma forma bem interessante de estabelecermos "laços de família". A propósito: você sabe o nome do seu avô, onde nasceu e como foi sua vida?

20 de fev de 2008

Biblioteca Nacional

Hoje tive a oportunidade de conhecer a Biblioteca Nacional (RJ). Numa visita guiada fiquei deslumbrado com a arquitetura e a quantidade de livros existentes lá, é a maior biblioteca da América Latina e a oitava biblioteca nacional do mundo, possuindo quase dez milhões de livros. Depois da visita a Lu sugeriu que fôssemos pesquisar alguns documentos. Estamos buscando dados genealógicos. Tive a oportunidade de ler as cartas do Visconde de Taunay endereçadas a um amigo, no período de 1890 a 1898. A Lu pesquisou alguns documentos buscando sua conexão com a família Vieira da Bahia. Eu vasculhei as cartas atrás de Antonio Barbosa da Silva (Tenente Barbosa), citado na obra do Visconde, intitulada "A retirada de Laguna". Mas isso é conversa para muitos dias. Curiosidade: o Visconde de Taunay, cita numa das cartas (de 1893), que estava escrevendo suas memórias e que deixaria os manuscritos no Instituto Histórico para publicação 50 anos após, ou seja, em 1943, no dia do seu aniversário. Não sei se a obra foi publicada, vou verificar.

18 de fev de 2008

Doze anos de saudades

Querido pai, hoje fazem 12 anos que partistes. Não tivemos tempo de repassar e resgatar muitas coisas.
Tua vida de operário e as muitas horas extras, impediram muitas vezes de estar conosco. Trabalhastes mesmo depois de aposentado e fostes elogiado pelo teu rendimento quando visitei a empresa que tu trabalhavas. Continuarás vivo em minha memória sempre!
Espero que estejas bem... onde estiveres!

16 de fev de 2008

Entre Fadas e Bruxas


ENTRE FADAS E BRUXAS

Gerson Vieira(*)

As fadas são radiantes,

as bruxas, misteriosas.

As fadas têm varinha de condão,

as bruxas, caldeirão.

As fadas são sensíveis, têm coração,

as bruxas não têm emoção.

As fadas trazem felicidade,

as bruxas somente dor e desilusão.

As fadas são atenciosas,

as bruxas, indiferentes.

As fadas encantam,

as bruxas enfeitiçam.


(Dedicada à fada Luciana que, a cada dia que passa, me envolve em seus encantos!)

Publicada na I Coletânea Poesia, Crônica e Conto 2003, da Casa do Poeta de Canoas

_________________________________________________________________________________________

(*) Sobre Gerson Vieira

Tem 44 anos, nasceu em Canoas, RS, reside atualmente no Rio de Janeiro. Formado em Ciências Contábeis pela Ulbra - Universidade Luterana do Brasil. Membro da Casa do Poeta de Canoas e da ACE - Associação Canoense de Escritores. Publicou várias crônicas no jornal Diário de Canoas. Participou das duas coletâneas da Casa do Poeta de Canoas (2003 / 2005) e da sessão de autógrafos na Feira do Livro de Porto Alegre em 2005.

Responsabilidade socioambiental de bancos só na televisão

14 de Fevereiro de 2008 - 18:15


São Paulo - Na televisão é tudo muito bonito. Imagens da Amazônia e de pessoas comuns reinventando o mundo passam a idéia de que os bancos voltam toda a sua gestão por um mundo social e ambientalmente melhor. Um estudo realizado pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) divulgado na quarta, 13, entretanto, mostra que as instituições ainda estão muito longe de ser o que apregoam.

Foram avaliados os oito maiores bancos do país e nenhum deles chegou nem perto do conceito "Bom", quanto mais do "Excelente". Pelo contrário: Seis ficaram no "Ruim", sendo dois beirando o "Péssimo", e apenas dois conseguiram, por muito pouco, um modesto conceito "Regular" .

Leia a íntegra do estudo

A avaliação da pesquisa, composta por 69 pontos, levou em conta a atuação dos bancos em praticamente toda sua esfera de infuência: seus funcionários, os clientes, a sociedade e o meio-ambiente. Ela foi feita, exceto no caso dos bancários, com informações cedidas pelos próprios bancos. Além deles, a Contraf-CUT, o Dieese e outras instituições também foram consultadas.

E os bancos que se preparem, pois o Idec afirma ainda que esta primeira avaliação não foi das mais rígidas justamente por ser inicial. Para a próxima avaliação, o instituto pretende desenvolver um trabalho ainda mais sistematizado.


Fonte: André Rossi - 13/02/2008

Nota:

Leiam o estudo, concluirão que muitas das ações que os bancos propagam é só para telespectador ver!

13 de fev de 2008

NOVAS REGRAS PARA A TELEFONIA CELULAR

A partir de 13/02/2008

CRÉDITOS

- Prazo máximo de validade do cartão pré-pago aumenta de 90 para 180 dias

- Créditos bloqueados por fim do prazo de validade do cartão pré-pago passam a ser revalidados a cada nova recarga

- Clientes de serviço pré-pago ganham direito de fazer chamadas a cobrar até 30 dias após o vencimento dos créditos

CANCELAMENTO

- Cliente pode suspender o serviço por até 120 dias uma vez por ano, sem custo, desde que não tenha débitos com a operadora

- Operadoras passam a ter um prazo máximo de 24 horas, a partir da solicitação do usuário, para cancelar a linha

- Cancelamento de conta poderá ser solicitado em postos de venda da operadora, correspondência registrada, telefone e mensagem de texto

COBRANÇAS

- Operadora terá que devolver em dobro, com juros e correção monetária, as cobranças indevidas

- Operadora fica proibida de cobrar débitos relativos a serviços prestados a mais de 60 dias sem a negociação com o consumidor; o prazo anterior era de 90 dias

- Prazo para suspensão do serviço por atraso no pagamento é ampliado de 30 para 45 dias

- Operadora passa a ser obrigada a esperar 15 dias, a partir da data do envio da notificação de rescisão de contrato ao cliente por falta de pagamento, para colocá-lo em listas de serviço de proteção ao crédito

- Operadora não pode cobrar por serviços que tenha prestado depois de 24 horas da solicitação de cancelamento do serviço feita pelo usuário

MUDANÇA DE PLANOS/OPERADORAS

- Usuário passa a ter o direito a uma simulação de gastos nos últimos três meses em outros planos de sua operadora uma vez a cada seis meses

- Cliente terá direito a permanecer com o mesmo número se optar por mudar de plano (pré-pago para pós-pago ou vice-versa), desde que dentro da mesmo operadora

- Prazo de fidelização para permanência em operadoras que ofereçam aparelhos com desconto passa a ser de, no máximo, 12 meses

DEVER DO USUÁRIO

Consumidor fica obrigado a notificar a perda ou roubo do aparelho celular

Maiores informações contate a Anatel: www.anatel.gov.br


VAMOS FICAR DE OLHO E COBRAR NOSSOS DIREITOS!


12 de fev de 2008

Novo site Coleta Seletiva Solidária

MDS lança site Coleta Seletiva Solidária


Com o objetivo de estimular a coleta seletiva de materiais recicláveis nos órgãos públicos, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), lançou uma página na internet para disponibilizar informações sobre o assunto. No site www.coletasolidaria.gov.br, que será hospedado pelo Serpro, há o conteúdo de uma cartilha, que auxilia os gestores a implantar a coleta na instituição; espaço dedicado à legislação e eventos, e um conjunto de respostas para as perguntas mais freqüentes sobre o tema.

A coleta seletiva nos órgãos públicos federais foi normatizada pelo Decreto 5.940, de 25 de outubro de 2006. Ele determina que os resíduos produzidos - que possam passar pelo processo de reciclagem - devem ser destinados às associações e cooperativas de materiais recicláveis. Mais informações: coletaseletiva@mds.gov.brEste endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo e nos telefones (61) 3433 - 1619/1644.

Mais informações: Portal Coleta Seletiva solidária (www.coletasolidaria.gov.br)

Fonte: MDS (www.mds.gov.br) - 07/02/2008

11 de fev de 2008

Hipocrisia no Carnaval

A nudez que foi castigada

Como uma moça desconhecida e seu emplastro de 4 centímetros viraram escândalo na festa mais profana do planeta

ADRIANO SILVA E RAFAEL PEREIRA




NOTA 10
Viviane com o que descreveu como “a menor fantasia do mundo”. Colado antes do desfile, o tapa-sexo sumiu

Viviane castro tem 25 anos. conta que há quatro trabalha em “festas e eventos” em Goiás e no Distrito Federal. Está há seis meses no Rio de Janeiro. Nasceu em Luziânia, cidade de Goiás conhecida pela marmelada e pelo Rego das Cabaças, uma fenda com 42 quilômetros de extensão. Viviane só precisou de 4 centímetros para garimpar seus 15 minutos de fama. Encontrada pelo produtor Kiko Alves – “revelador” de musas do Carnaval como Viviane Araújo –, Viviane saiu pela São Clemente, no desfile do Carnaval carioca deste ano, vestindo um tapa-sexo de 4 por 9 centímetros. Que sumiu durante o desfile.

A peça, uma tira de emplastro de cânfora, coberta com purpurina e spray iluminador, presa com supercola à genitália da modelo minutos antes da apresentação, ficou invisível, tornando o resto bastante visível. Segundo ela, o tapa-sexo pigmeu agarrou-se com tal frenesi a seu corpo que só foi possível retirá-lo, com muita paciência, com meia hora de banheira quente, bem depois do desfile.

A celebridade instantânea foi boa para Viviane – promovida a capa de uma pequena revista erótica carioca, para a qual havia posado antes do Carnaval (ela não revelou o cachê) – e enfureceu a São Clemente, que perdeu meio ponto na apuração do desfile das escolas de samba. Última colocada, a São Clemente teria sido rebaixada mesmo sem essa punição. Em 1990, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) determinou que não poderia haver “exibição da genitália desnuda” na Sapucaí. “Não tive muito tempo para pensar, mas da forma como (o caso) foi conduzido eu considero um ato de censura”, disse Viviane.

A regra foi criada depois que Enoli Lara desfilou nua em 1989, pela União da Ilha, representando Afrodite, a deusa grega do amor, vestindo apenas um par de botas. No ano seguinte, Joãosinho Trinta criticou a proibição no enredo “Todo Mundo Nasceu Nu”. O ator Jorge Lafond desfilou com o corpo todo coberto... de purpurina. A Liesa respondeu à provocação ampliando a regra: estava terminantemente proibido desfilar com a “genitália desnuda, pintada ou decorada”. Em 1992, a regra finalmente fez uma vítima: o próprio Joãosinho. O ator Torez Bandeira desfilou pela Beija-Flor vestindo apenas um esparadrapo, que acabou caindo de seus genitais durante o desfile, custando 2 pontos à escola.

Os carnavalescos têm todo o direito de se regular da maneira que considerarem a mais correta. Mas outras centenas de tapa-sexos compareceram ao Sambódromo nas duas noites de folia. Nos últimos anos, foram milhares. Alguns tapando o púbis inteiro. Outros tapando só parte do púbis. Tapa-sexos crespos, lisos, oxigenados, adornados com lantejoulas, miçangas, fitinhas, lacinhos, espelhinhos. Se o emplastro de Viviane medisse 8 centímetros, tudo bem? Se medisse 6, custaria meia punição? Se medisse 12, seria aplaudido de pé pelo júri? A partir de que ponto um tapa-sexo deixa de ser uma celebração da beleza e passa a ser uma ofensa imperdoável?

A missão de um tapa-sexo é tapar o sexo. Não é tapar o púbis, nem a virilha, nem o períneo, nem o sovaco. Nem sequer se pode dizer da moça que estava nua em pêlo – ela estava depiladíssima, quase angelical, em sua fantasia de índia. Se alguma coisa destoava ali, era precisamente o tapa-sexo, que os índios não usam. No quesito Alegoria, Viviane merecia nota 10.

A gradação da nudez, essa escala de valores morais e estéticos pleiteada pelos organizadores do Carnaval do Rio, não é fácil de compreender. Peitos descomunais pode, nudez traseira ululante pode, corpos inteiramente fabricados pode, toda sorte de insinuação sexual pode. Nudez frontal, mesmo a mais maquiada, produzida, sublimada, nem pensar. O beiço dado pelos senhores do Carnaval aos adoráveis recônditos que Viviane revelou artisticamente ao mundo, a serviço do enredo de uma escola de samba, soa mais ou menos como, numa churrascaria, o garçom se escandalizar porque você pediu uma maminha. Uma contradição inominável.

A nudez sempre foi o grande ingrediente da arte do Carnaval. Os corpos são a moldura, a tela e a tinta das obras pintadas ali, a céu aberto. Proibir a exposição dos corpos no Carnaval não é só um paradoxo. É uma diminuição das possibilidades artísticas do evento. Um Carnaval regido pelo moralismo e pela caretice, que se deixe encampar por estes tempos terrivelmente conservadores que vivemos, é algo a lamentar. Assim como o fato de que a festa de 2008, infelizmente, pode entrar para a História como o Carnaval da censura.

Fonte: www.revistaepoca.globo.com - 08/02/2008

Nota:
Concordo com os autores do artigo. Faria muitas outras perguntas:
1. Dinheiro de bicheiro para turbinar as escolas pode?
2. E o dinheiro do narcotráfico?
3. E samba-enredo de traficante?
E por aí vai....

4 de fev de 2008

Trabalhadores do Brasil



“Hoje é dia do trabalhador
Que conquistou o seu lugar
E vai nossa vila, fazendo história
Pra luta do povo eternizar.”


Tive o prazer de assistir, pela primeira vez, o ensaio de uma escola de samba aqui no Rio. Foi o ensaio do G.R.E.S. Unidos da Vila Isabel no dia 31 de janeiro. Agradeço aos amigos Adeílson e Vinícius pelo convite. O tema deste ano é uma homenagem aos trabalhadores.

A escolha desse tema resgata os enredos engajados com temáticas sociais que a Vila levou para a Marquês de Sapucaí no final dos anos oitenta e início da década de noventa. Dentre esses temas ganham destaque Kizomba, Festa da Raça (1988-Vila Isabel Campeã); Direito é Direito (1989); e, Se Essa Terra, Se Essa Terra Fosse Minha...(1990). No carnaval de 2006, também com um enredo de cunho social, Soy Loco Por Ti América – A Vila Canta a Latinidade, a Agremiação conseguiu o segundo campeonato no Grupo Especial.

O enredo Trabalhadores do Brasil tem como questão central por fim ao mito da indolência nacional, segundo o qual o brasileiro é um sujeito preguiçoso, indolente e avesso ao trabalho. A origem desse mito teve o seu ponto de partida com a chegada a essas terras do homem branco, que se deparou com povos com uma cultura totalmente diferente da européia. Os nativos pescavam, coletavam, caçavam, teciam, entre outras atividades necessárias para garantir o seu auto-sustento. Esse fato levou o europeu a considerar o gentio um sujeito inerte, voltado unicamente para o ócio, incapaz de produzir riquezas. Essa visão eurocêntrica tem se mantido viva em nosso imaginário até os dias de hoje. O enredo, portanto, visa desmistificar esse ponto de vista errôneo que tem estigmatizado o nosso povo.

No início dos anos sessenta, forças intersindicais reivindicaram melhoria das condições de trabalho. Esse movimento conquistou o 13º salário para os trabalhadores urbanos. Era também o tempo das reformas de base. E, os trabalhadores rurais exigiam reforma agrária. Com a aprovação do Estatuto do Trabalhador Rural, muitas ligas camponesas se transformaram em sindicatos rurais.

Em 1964, deu-se início aos anos de chumbo. Os trabalhadores ainda assim lutaram por melhores condições salariais e pela liberdade de expressão. Maior exemplo dessa rebeldia foi a greve operária do ABCD paulista no ano de 1978. Os metalúrgicos se rebelam, e cruzam os braços. Sua luta abre caminho para a redemocratização do país.

A escola homenageia o grande protagonista dessa história feita de lutas e conquistas, história que tem um começo, mas que certamente não tem um fim, já que as lutas continuam. O Brasil conquista seu espaço no mercado internacional, fruto do trabalho de homens e mulheres, que com sua dedicação e determinação, constroem esse imenso país.

O trabalhador brasileiro será visto no enredo como sujeito ativo da sua própria história, não como um sofredor, um “pobre coitado”, um sujeito pacífico que a tudo aceita passivamente. Ao longo da história do nosso país, diversos foram os momentos que os trabalhadores se rebelaram e lutaram para conseguir melhores condições de vida e de trabalho. Nada lhes foi dado gratuitamente. Seus direitos foram conseguidos com base em muito conflito e negociação.

Hoje a escola se apresenta na Marquês de Sapucaí, estarei torcendo pela Vila Isabel, pela sua tradição, por Noel, o poetinha da Vila, componentes que vão me conquistando a cada dia na cidade que me recebeu com os braços abertos.

Gerson Vieira, trabalhador, poeta e cronista


1 de fev de 2008

Matilde Ribeiro deixa a Secretaria da Igualdade Racial

A ministra Matilde Ribeiro anunciou nesta sexta-feira (1º) a saída da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial após ser acusada de uso irregular do cartão corporativo do governo.

O desligamento foi comunicado reunião entre Matilde e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.

“Diante dos fatos, solicito meu desligamento”, afirmou. “Assumo o erro administrativo no uso do cartão. Os fatos partiram da dificuldade com deslocamento e hospedagem fora de Brasília. Foi um erro administrativo que pode e deve ser corrigido”.

Matilde disse que foi mal orientada por dois funcionários da secretaria. “Não estou arrependida. Fui orientada a usar o cartão", disse ela, afirmando que esses funcionários foram demitidos.

Matilde destacou que o uso freqüente do cartão se deve ao falta de sua pasta ter uma estrutura enxuta, o que também acontece com as demais secretarias especiais do governo, e lembrou o trabalho de uma agente política, as vezes, continua no almoço ou no jantar.

Nota:

Acredito na sinceridade de ex-ministra e como participo de movimentos sociais, sei muito bem das dificuldades existentes para deslocamento, alojamento e outras despesas inerentes. Muitas vezes as despesas são bancadas pelos próprios militantes. Os fatos servem de alerta para que os erros sejam corrigidos e os cartões usados com bom senso e dentro da norma e que esta seja clara, detalhada e divulgada amplamente.

Gerson Vieira

PT se solidariza a Matilde e destaca sua dignidade e competência à frente da Seppir

ImageLeia nota do PT, assinada pelo presidente do partido, deputado Ricardo Berzoini, em solidariedade à ministra Matilde Ribeiro, que pediu demissão da Seppir nesta sexta-feira (1º):

O Partido dos Trabalhadores se solidariza com a ministra Matilde Ribeiro e lamenta sua saída da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), pasta que comandou com dignidade e competência desde o início do primeiro governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em sua gestão, foi dada especial atenção a um grupo de brasileiros historicamente relegados ao esquecimento: os descendentes de escravos moradores de áreas quilombolas, comunidades existentes em várias regiões do país e que somam 1,7 milhão de habitantes. A partir de uma série de políticas públicas articuladas pela Seppir, estes brasileiros passaram a ter direito à terra, à saúde, à educação e à energia elétrica.

Entre outras ações, Matilde Ribeiro também tem se destacado pela defesa das cotas para negros e índios nas universidades brasileiras, que permitiram, nos últimos cinco anos, o acesso de 40 mil pessoas ao ensino superior.

Contra tais políticas tem se insurgido, desde o início, a intolerância secular que domina parcela da sociedade brasileira. As eventuais irregularidades cometidas no uso do cartão corporativo – que devem ser apuradas pelos órgãos de controle, com as medidas cabíveis ao final da investigação – motivaram ataques e insinuações em tom abertamente preconceituoso, não só contra a ministra, mas contra a própria existência da Seppir.

O PT repudia esse tipo de ataque, lembrando que, entre as muitas conquistas do governo Lula, a Secretaria se constitui em marco fundamental no processo de afirmação da cidadania do povo negro brasileiro.

Acompanhamos com tranqüilidade a investigação em curso, na certeza de que o resultado, qualquer que seja, não será suficiente para macular a seriedade do trabalho de Matilde Ribeiro à frente da Secretaria nem sua trajetória de luta militante pela igualdade racial.

O PT tem a convicção de que o governo do companheiro Lula dará continuidade às políticas desenvolvidas pela Seppir.

Ricardo Berzoini
Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores