6 de abr de 2008

Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul pede socorro!


Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul pede socorro!

Caros leitores e amigos do Brasil, reproduzo neste espaço o apelo feito pelo pesquisador Elisandro Migotto, meu colega do RS-Gen, grupo de discussão sobre genealogia.

“Caros e caras pesquisadores,

Sou Elisandro Migotto, livre pesquisador da imigração ítalo-germânica nas regiões central e serrana do RS. Há 4 anos freqüento os Arquivos e Museus do RS em busca de fonte primária (documentos, mapas, códices etc.) a fim de compreender os grandes êxodos ocorridos nos séculos passados.

Nos últimos meses, redirecionei minhas pesquisas aos documentos do Arquivo Histórico do RS (AHRS), um dos maiores, senão o maior acervo da imigração no RS. Surpreso me encontro diante do péssimo estado de conservação desse inestimável material (livros originais sobre entrada de imigrantes, entrega de lotes coloniais, com lista de imigrantes, obras públicas, correspondências oficiais etc.).

Infelizmente, o Estado do RS dota essa instituição (Arquivo Histórico) de pouca verba, de tal sorte que vários códices se encontram há anos fora de acesso por estarem em situação deplorável de conservação, sem a mínima condição de manuseio e pesquisa. Há poucos restauradores e a maioria trabalha voluntariamente na árdua e lenta tarefa de reconstituir livros originais manuscritos, que estão com suas folhas rasgadas, soltas, esfareladas pelo tempo e, algumas vezes, pelo indevido manuseio de pessoas que ainda não compreenderam a importância e singularidade desse tesouro. Documentos esses que são testemunhas escritas do passado e da passagem de nossos ancestrais por terras meridionais do Brasil.

Em conversa que tive com a responsável pela restauração do Arquivo Histórico do RS, a senhora Vera Mendonça, pude constatar o empenho dos funcionários em restaurar as obras inestimáveis à história da imigração, porém o AHRS não dispõe de maior verba para adquirir os materiais necessários à restauração, como:

- Tecido Voal branco (tipo - para cortina) - encontrável em lojas de tecidos em geral;

- Linha Urso nº 1 Branca - disponível em armarinhos, lojas de tecidos;

- Papel japonês A-1 ou em rolo;

- Papel canson bege ou creme - gramatura 75 m - disponíveis em papelarias;

- Carboxi Metil Celulose (C.M.C) - encontrável em casas que trabalham com produtos químicos - é uma cola especial

- Bisturi nº 10 - lojas que trabalham com material cirúrgico.

A quantidade de códices a espera de restauro aumenta diariamente, mas o AHRS não dispõe de verba para adquirir esse material. Penso que nós, enquanto pesquisadores e cidadãos podemos colaborar com a doação de algum desses materiais. Segundo me disse a restauradora, com uma única folha de papel japonês é possível restaurar duas folhas de códice.

Qualquer ajuda – envio ou entrega de material de restauro ao AHRS será muito bem-vinda.

Por favor, NÃO enviem dinheiro, pois o AHRS não dispõe de conta bancária, assim, qualquer doação em espécie irá aos cofres do Estado e não chegará ao AHRS.

A memória de nosso País está agonizando, precisamos fazer algo!

Se cada pesquisador doar uma única folha de papel japonês, ou um único rolo de linha Urso nº 1 Branca etc. já será uma grande colaboração.

Envio este mail para pesquisadores de outros Estados por entender que se trata de uma premência, na qual a história do País está ameaçada, além do que, muitos imigrantes que se estabeleceram em outros Estados podem ter passado pelo RS ou aqui ter deixado parentes.

Reitero, qualquer ajuda (envio pelo correio ou entrega pessoal desse material ao AHRS) será muitíssimo bem-vinda, não importa a quantidade (seja um ou vários), mas sim o ato cidadão de colaborar com conservação da História Nacional.

Por favor, se quiserem repassar esse mail ao maior número de pessoas, estejam a vontade.

O endereço do AHRS é:

Prédio Memorial do Rio Grande do Sul

Rua Sete de Setembro, 1020- 2º andar, sala 17

Centro, Porto Alegre-RS

Cep: 90010-191

Fone: (51) 3227.0883, 3221.0825

Site: http://www.cultura.rs.gov.br/principal.php?inc=arq_hist

Desde já agradeço a atenção e sensibilidade de todos.


Saudações,


Elisandro Migotto

Porto Alegre-RS”

NOTA: Participem desta campanha, ajudem o Arquivo Histórico a preservar a memória gaúcha, divulguem aos seus amigos e participem doando algum material. Um dia você poderá precisar pesquisar algum documento e talvez ele não exista mais!

Nenhum comentário: