25 de mai de 2008

Petistas favoráveis à aliança com o PSDB em BH ainda apostam no aval do partido



Pimentel fecha acordo e passa a ter direito a voto no PT Nacional
Petistas favoráveis à aliança com o PSDB em BH ainda apostam no aval do partido
23/05/08 | 17:10:27
POLITICO EM AÇAO - MG
O prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), e o deputado estadual Roberto Carvalho (PT), cotado para ser vice-prefeito na chapa da dobradinha entre petistas e tucanos, devem ter direito a voto na reunião do diretório nacional do PT, apesar de não fazerem parte desta instância da sigla.

Eles não são integrantes do diretório, porém teriam se beneficiado com a desistência de dois colegas do campo Construindo um Novo Brasil (CNB). Nos bastidores, teria sido fechado um acordo com os petistas. Tanto Carvalho quanto o deputado federal Virgílio Guimarães (PT) confirmaram a ausência dos colegas na reunião do diretório. Pimentel e Carvalho são suplentes da chapa CNB e devem ser convocados.

Alguns petistas contrários à aliança - ou ainda indecisos - não deverão comparecer ao encontro. A decisão deles teria sido tomada depois que Fernando Pimentel fez um corpo a corpo com parlamentares do PT em Brasília.

A senadora Ideli Salvatti (PT-SC), por exemplo, declarou que é contra a dobradinha, mas iria se ausentar alengando compromissos em seu Estado. Ela pertence à chapa da CNB, que é remanescente do extinto Campo Majoritário petista, mas não teria suplente, pois ocupa o cargo de líder do PT no Senado.

Aliados do prefeito acreditam que, com a oportunidade de integrar temporariamente o diretório, ele teria não só a possibilidade de assegurar seu voto, mas ainda a chance de trabalhar internamente na ala nacional da legenda no dia da reunião. O diretório é composto por 83 integrantes.

Os interlocutores de Pimentel contabilizam cada possível voto na esperança de conseguir a aprovação da aliança. O trabalho é feito de forma individual. Aliados de Pimentel passam o feriado em contato com petistas de outros Estados na busca de mais apoio à tese.

CNB. Os interlocutores do prefeito concentram os esforços no grupo que faz parte da corrente CNB. A ala é extensa e composta por lideranças contrárias à idéia de Pimentel, como os ministros Patrus Ananias e Luiz Dulci, mas também parlamentares que se mostram favoráveis, como o deputado Maurício Rands (PE), líder do PT na Câmara. O presidente do partido, Ricardo Berzoini, também é da CNB. Pimentel e seus aliados integram esta corrente e querem convencer os mais próximos a eles a dar o aval à aliança com os tucanos.

Fonte: O Tempo por Amália Goulart


Nenhum comentário: