3 de mai de 2008

Quarto 308

* Gerson Vieira

Do outro lado da janela
Ouço música e vozes
Imagino teu rosto
Despertando em mim
A mais pura inspiração

Sinto a liberdade em minhas mãos
Em meio ao ambiente mofado
Sinto o calor intenso na escuridão
Que não mais me assusta
O inverno chega
Diferente de quando o conheci na infância

Já li um livro inteiro
Descobri coisas que nem imaginava da sua intimidade
Quando dinheiro tiver
E o espaço necessário conseguir
Vou realizar o sonho de longos e longos anos...

(*) Sobre Gerson Vieira
Nasceu em 3/2/1964, em Canoas, RS, reside atualmente no Rio de Janeiro. Formado em Ciências Contábeis pela Ulbra - Universidade Luterana do Brasil. Membro da Casa do Poeta de Canoas e da ACE - Associação Canoense de Escritores. Publicou várias crônicas no jornal Diário de Canoas. Participou das duas coletâneas da Casa do Poeta de Canoas (2003 / 2005).

2 comentários:

Flávio Corrêa de Mello disse...

Grande Gerson,

Valeu pela visita ao Rio Movediço e te aguardo mais vezes!!!

Gostei do ritmo deste poema, há um tom nostálgico aí, tom de distância.

Vou te visitar mais vezes. Grandes Abraços

Luciana Vieira disse...

Acho que o Flávio realmente tocou no ponto... a distãncia. Isso mexe tanto contigo que fica claro ver que teus amores sempre estão longe...
beijo